O calçadão da XV e o Clube Elas

July 31, 2012

Nos fins dos anos 60 e início dos anos 70, a rua XV de Novembro, na Capital do Estado do Paraná, era toda transitável por veículos da época que circulavam em ambos os sentidos, desfilando por toda a bela cidade.

Daquela década em diante, a rua XV foi fechada para os automóveis e outros veículos de tração motor ou mesmo animal, passando a ser conhecida como “Calçadão da XV” ou “Rua das Flores”, quando então se permitiu apenas o fluxo de pessoas que transitam pelo centro de Curitiba. Local de muitas lojas, confeitarias, cafés, bancas de jornais e revistas e sempre, como em todo o centro grande, local também de pessoas interessantes, algumas até pitorescas, umas elegantes, outras nem tanto, verdadeiro símbolo da diversidade humana, como por exemplo, a mulher que se vestia com papelão para embalar maçãs, com divisórias para a separação das frutas, na cor roxa; o travesti “Gilda” que abordava as pessoas pedindo uma “moedinha ou um beijo na boca”; a mulher que vendia bilhetes de loteria e era atração turística pelo timbre forte de voz ao anunciar o cartão gritando: “tem borboleta”, “cobra”, “cavalo”, e outros bichos; o “ceguinho” que tocava acordeon para receber um troco dos transeuntes, entre tantas outras atrações.

O calçadão da XV, como hoje é chamado, depois de inaugurado passou a ser ponto de encontro de grandes personalidades de Curitiba e também do Estado do Paraná, que lá se encontravam e se encontram até os dias de hoje para longas conversas e discussões futebolísticas, sobre política, sobre segurança pública, saúde, educação, problemas financeiros que afligem o País, a Europa, a América do Norte, enfim, discussões que acertam e consertam os problemas do Brasil e do resto do mundo.

No calçadão da XV, o início do calçadão foi batizado por Anfrísio Siqueira, de saudosa memória, como “Boca Maldita” e  se tornou uma confraria que agrega grandes nomes do Paraná, outorgando-lhes o título de “Cavalheiros da Boca Maldita”.

Este ano de 2012 se comemora o quadragésimo aniversário do “Calçadão da XV” e entre os festejos, o Clube Elas de antigomobilismo em parceria com a Provopar, nos fez reviver o passado. Promoveu um belo encontro de automóveis antigos, alguns daqueles que circulavam pela Rua XV de Novembro, e que agora os vimos tão somente estacionados sobre a calçada, como nos velhos e bons tempos. Foi um verdadeiro espetáculo que transportou as pessoas numa viagem de quarenta e poucos anos atrás.

Foi realmente uma bela iniciativa que agradou a todos quantos passaram pelo calçadão.

O Clube Elas de Automóveis Antigos e Especiais, gentilmente nos enviou algumas fotografias do encontro para que pudéssemos publicar no blog, e para comparar o antes e o depois, colhi também uma fotografia da Rua XV de Novembro dos anos 60/70, que foi publicada no jornal Gazeta do Povo, na coluna do historiador Cid Distéfani, de quem aliás, sou assíduo leitor e admirador.

Parabéns ao Clube Elas de Automóveis Antigos e Especiais por esta magnífica iniciativa.

Tempos de outrora

Tempos de hoje

Leave a Reply