BUGGY- A curtição

November 5, 2012

Buggy Kadron

Buggy é uma curtição total


No Brasil, os primeiros buggys chegaram na bagagem de brasileiros residentes nos Estados Unidos da América, que traziam a carroceria dos modelos de Bruce Meyers e montavam na mecânica do fusca. O primeiro modelo a ser fabricado no Brasil foi o Glaspac, que era uma cópia do Meyers Manx II. A Glaspac foi criada por Donald Pacey, em 1.962, e produzia peças e fibra de vidros para caminhões. A idéia de produzir buggys veio de seu amigo Gerry Cunningham. Logo após o surgimento do Glaspac, foi a vez do Kadron, buggy com design genuinamente brasileiro, criado pelo designer Anísio Campos, o mesmo que criou o Puma. O Kadron foi produzido na fábrica da Puma Veículos, em São Paulo, e assim como Meyers, sofreu muito com a cópia não autorizada.

A partir destes, centenas de fabricantes surgiram, grande parte fechou, mas algumas persistem até hoje. Fabricantes tradicionais como Bugre, BRM e Selvagem nunca interromperam sua produção. No início, basicamente se utilizava de um chassi VW encurtado em aproximadamente 36 cm e após a montagem da carroceria de fibra de vidro, levava-se ao Detran para fazer a legalização do veículo e transforma-lo em buggy. Somente a partir de 2.008, com as resoluções 291/292 do DeNaTran, ficou proibida essa prática, porém, no Nordeste, desde a década de 80 que todos os fabricantes de buggy já possuíam homologação para produzirem buggys sem a necessidade do velho e tradicional chassi VW, substituindo-o por um chassi tubular com várias inovações, como suspensão com molas helicoidais e facilidade na manutenção dos cabos de ligação que agora ficaram embaixo do túnel removível e o chassi laminado á carroceria formando um monobloco resistente. Hoje a legislação é muito rígida e poucos fabricantes que atendem às exigências legais de emissões e segurança, como a BRM de São Paulo, a Selvagem do Rio Grande do Norte e o Cauype do Ceará.  Outra fábrica que merece destaque é a cearense Fyber, que na década de 80 inovou com um visual de linha quadradas — tendência da época e serviu de inspiração para várias outras marcas cearenses e nacionais. Hoje a fábrica não existe mais, entretanto um antigo revendedor da marca lançou uma réplica com motor VW AP (refrigerado a água), já que o boxer não é mais fabricado e colocou um nome alusivo: Fyber Water.

Outros fabricantes que fizeram história no Brasil são: Bugre, Emis, Baby, e Selvagem.

Também em 1.969 foi lançado o Reno, projetado e produzido por Nils Armin Halboth em sua fábrica em Petrópolis, portanto, igualmente um design genuinamente brasileiro. Caracterizava-se pelas linhas arredondadas, traseira em forma de hexágono alongado (anel do benzeno), enorme resistência, e por incorporar desde o início recursos que nenhum outro possuía.  Em 1.981 o Nils reformulou todo o projeto, mantendo seu desenho básico, mas introduzindo tantas inovações que jamais foi igualado, inclusive uma capota conversível pantográfica forrada por dentro. Os últimos Reno foram feitos em 1.993.  Esses três primeiros buggys fabricados em série estão reunidos numa foto do “Correio da Manhã” de 6 de abril de 1.970, (a foto teve o negativo invertido e por isso os volantes ficaram à direita), mostrando o Kadron (que na época se chamava Tropi AC), o Reno e o Glaspac na praia da Barra da Tijuca.

É muito usado nas dunas do Nordeste brasileiro, principalmente no Rio Grande do Norte e no Ceará, onde os chamados bugueiros ganham a vida dirigindo ou alugando esse tipo de veículo para turistas ou participando de clubes organizados, como o Clube do Buggy Ceará e Buggy Club do Rio Grande do Norte (BCRN), por exemplo.

Buggy Reno – projeto brasileiro

Buggy Buggy

Buggy Buggy ano 94 com rodas de avião

Buggy

Buggy Buggy

Buggy

Buggy Kadron

Leave a Reply